quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Trilha do Rio do Boi

A visão mais conhecida dos canyons dos Aparados da Serra é a de cima. Poucos, no entanto, os conhecem de baixo, porque pra ter uma visãozinha deles dessa posição só depois de várias horas de caminhada através de uma trilha, conhecida como a "Trilha do Rio do Boi". Na minha humilde opinião, compensou cada pedra atravessada.

Primeira dica: essa trilha é a mais indicada para o verão de todas as que já fiz. Como o nome diz, existe um rio e a trilha acompanha o rio, portanto, você vai se molhar.

Como Chegar
Tudo começa em Praia Grande-SC. Se você vem de Porto Alegre, o melhor caminho é seguir pela BR-101. Você vai cruzar a ponte, sair do estado e entrar em Santa Catarina. Na altura de São João do Sul vai enxergar uma placa indicativa - que não está muito indicativa, devido às obras da BR-101 -, mas fique atento aqueles viadutos que estão sendo construídos e que nos desviam pelas laterais. A entrada é à esquerda em um deles, depois de sair do RS e antes de chegar em Sombrio (como Sombrio você provavelmente vai enxergar, se você chegar a Sombrio é porque passou).

Supondo que você enxergou o trevo para São João do Sul, você está, então na SC-450. A estrada é direitinha e asfaltada, mais uns 20Km você está em Praia Grande. Não tem como passar, você vai ser obrigado a entrar na cidade já que o asfalto termina ali.

Cheguei em Praia Grande e agora?
Chegando em Praia Grande procure a APCE (Associação dos Condutores para Ecoturismo de Praia Grande) . Não é permitido que a trilha seja realizada sem um guia. Na associação, a contratação do guia custa R$100 (preços de dezembro/2008) e ele pode levar até 8 pessoas. Então, para 1 pessoa sozinha o valor pode parecer alto, mas para 4 pessoas já é bem mais atrativo. Encontrar a APCE é fácil. Estando em Praia Grande, siga a torre da igreja e também a torre de celular da cidade, ficam na mesma direção. A APCE fica ao lado da torre de celular e de frente para os fundos da igreja.

Se você estiver hospedado em alguma pousada do município, é possível que a própria pousada lhe ofereça serviço de guia. É comum cada pousada oferecer os seus serviços, com os seus profissionais.

Não tente ir sem guia, existe um posto do Ibama na entrada do parque que, inclusive, fiscaliza se o guia está levando corda e outros materiais necessários para as travessias. A entrada para o parque custa R$ 6. Se você visitar o Itaimbezinho, o ingresso para a entrada do Parque por Praia Grande também, não precisa pagar dois ingressos, desde que seja no mesmo final de semana.

A Trilha
A duração da trilha é de 8 horas. Nós fizemos em 7 horas, mas creio que somos mais rápidos que a média. Se você está num grupo mais lento, provavelmente não conseguirá chegar ao ponto mais longínquo. O guia retorna quando vê que pode anoitecer com o grupo na trilha.

A coisa mais certa dessa aventura é que você vai se molhar. Por isso fazer a trilha no verão, em um dia de sol rachando pode ser bom. Estava super quente no dia em que fizemos, mas nem sentimos. Você pode até não molhar os ombros, mas pernas, tênis, bermudas, com certeza. Isso porque não existe uma trilha delimitada. O segredo é andar sobre as pedras acompanhando o leito do rio e atravessar para o outro lado em pontos onde não há em que se segurar. A travessia também é meio engraçada no início. Todos atravessam de mãos dadas, segundo a nossa guia, porque ajuda a manter o equilíbrio. Mesmo assim, alguns desequilíbrios são inevitáveis. "Relax and enjoy". Você não vai usar seu tênis branco novinho e sua melhor roupa para fazer isso, ok?

Ao longo da caminhada, além das travessias refrescantes pela água, avistamos um pico (o da Mamita), aves e três cachoeiras. O banho nelas é um pouco gelado, mas depois de horas de caminhada ele se torna bastante convidativo.

O que você vai encontrar no final? A vista da foto ao lado que não se compara ao real. Só vendo pra crer.

Dicas
- Respeite a natureza. Nós encontramos uma jararaca (os guias marcam com pedras empilhadas o local onde ela foi encontrada para avisar outros passantes), uma aranha viúva-negra, inúmeras aranhas menores e aquelas taturanas vermelhas que queimam. Basta deixá-los nos seus lugares, não mexer com eles que tudo bem.
- Protetor solar e boné ou chapéu são indispensáveis para 8 horas de caminhada.
- Nem pense em fazer a trilha de chinelo. Use um bom tênis ou bota para caminhada. A maior parte do trajeto é por sobre as pedras.
- Leve seu lanche e também uma sacola para o lixo. Nenhum lixo fica no parque, lembre-se disso. Nós levamos duas garrafas de água, mas quando ela acabou bebemos a do rio. Não ficamos doentes, a guia nos disse que não havia problema, mas não há nada que garanta que é pura.
- Se pretende tomar banho nas cachoeiras, é bom ir com roupa de banho por baixo.

Veja também:
http://www.praiagrande-sc.com.br/htm/roteiros.htm
http://www.ecoviagem.com.br/fique-por-dentro/viajantes/equipe-ecoviagem/viagens-nacionais/os-canions-de-aparados-6133.asp

4 comentários:

Gustavo disse...

Obrigado Ane, estamos pensando fazer a trilha agora em janeiro 2010, tua descrição ajudou bastante.

Gustavo disse...

Obrigado Ane, estamos pensando fazer a trilha agora em janeiro, tua descrição ajudou bastante.

Riboni disse...

Ane, legal estas dicas. Gustavo fostes fazer a trilha? vou faze-la agora em fevereiro. Riboni

Carla e Élio disse...

Oi Ane!
Ótimas dicas... Estarei por lá no carnaval 2011 e suas dicas foram preciosas... Obrigada por compartilhar...
Bjs e Boas Viagens!
www.expedicaoandandoporai.blogspot.com